Sínodo Arquidiocesano: um Caminho de Esperança

Por Peterson Prates

Imagem: Divulgação Facebook/Arquidiocese de São Paulo

Desde o começo do ano passado a Igreja de São Paulo tem vivido um momento forte que pretende marcar o futuro pastoral desta porção do povo de Deus, o 1º Sínodo Arquidiocesano de São Paulo. A proposta do Sínodo é trilhar um “caminho de comunhão, conversão e renovação missionária”.

Sínodo é sinônimo de Igreja em mutirão, povo que caminha junto. Mas o sínodo não pode ser apenas um evento, um conjunto de reuniões e uma grande assembleia pastoral. É preciso mais; é preciso viver ambiente de sinodalidade, na escuta e diálogo, na comunhão e participação e na conversão pastoral e renovação missionária.

Igreja sinodal é ser comunidade que se vê Igreja, escuta a voz de Deus nos clamores do povo e se arrisca com teimosia na construção do Reino. É tarefa pascal nos colocarmos em movimento para renovar nossas estruturas pastorais e abrirmos espaço para um novo modelo de evangelização e um renovado espírito missionário.

É momento de redescobrir a missão da paróquia em uma identidade eclesial essencialmente urbana, inserida na dinâmica e acelerada vida da grande metrópole, ciente a tantos desafios que sacrificam os mais pobres e das situações que tiram a dignidade de tantos homens e mulheres, entre os quais uma multidão de batizados.

Todos os agentes de pastoral, leigas e leigos, religiosas e religiosos e ministros ordenados, devem se empenhar com espírito evangélico na realização do sínodo. É oportunidade única de endireitar as veredas da evangelização.

Os dados coletados na primeira etapa do sínodo, com o resultado dos grupos nas comunidades, os dados da pesquisa de rua e as informações das paróquias, são elementos que nos ajudam a ver nossa realidade de Igreja e nos provoca a converter o cenário.

Neste ano, na etapa das regiões episcopais e vicariatos ambientais, as comunidades têm a missão importante de resgatar a própria história e aprofundar a pertença eclesial. Nosso arcebispo nos convida a conhecer mais sobre o título e os padroeiros de nossas paróquias, isso nos desperta para recuperar o carisma e a identidade de nossas comunidades.

É importante também revisitar documentos que estimule e reanime a eclesiologia de Igreja Povo de Deus, como o Documento de Aparecida, o Documento 100 – Comunidade de Comunidades: uma nova Paróquia e a exortação do Papa Francisco, Alegria do Evangelho.

Como povo da esperança, permaneçamos unidos para poder colher bons frutos dessa empreitada. Como diz a canção, “De mãos dadas a caminho / Porque juntos somos mais”.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: